Antes de mais nada, devemos nos conscientizar que o deficiente visual não é, não foi e nem nunca será um "coitadinho". A limitação visual é apenas uma limitação, nada mais! muitas vezes as pessoas confundem deficiência com doença, o que leva a crer que não tem nenhum conhecimento a respeito da circunstância. O portador de deficiência visual é um ser humano como qualquer outro individuo, a diferença é que não tem o funcionamento dos olhos.

Em várias décadas, uma pequena parte da sociedade não tinha essa noção de conhecimento, mas hoje essa desconfortável situação está se diminuindo, tornando a acessibilidade para essas pessoas especiais bem mais forte. O cego pode trabalhar, relacionar-se, passear, constituir família, ser útil em diversas situações.

Muitos confundem a deficiência visual com deficiência física motora, normalmente quando vai ajudar, constrangendo o individuo naquele momento.

As pessoas que estabelecem contato com portadores de deficiência visual, seja de forma ocasional ou regular, revelam-se de um modo geral inseguras sobre como agir nas diferentes situações que possam acontecer. No convívio com deficientes visuais, aja com naturalidade e observe as suas capacidades.

Recomendações