introCTS

Conhecendo Antonio Borges

Foto de Antonio Borges
José Antonio dos Santos Borges é Informático pela UFRJ, com mestrado e doutorado em Engenharia de Sistemas e Computação pela COPPE-UFRJ.

Foi o fundador do Laboratório Tecnoassist do Instituto Tércio Pacitti da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde coordenou pesquisas em Tecnologia Assistiva e o desenvolvimento de alguns dos mais importantes sistemas computacionais para apoio a pessoas com deficiência no Brasil.

É atualmente Vice-diretor do Instituto Tércio Pacitti de Aplicações e Pesquisas Computacionais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NCE/UFRJ), tendo sido eleito para o biênio 2022-2023.

Acesse o currículo Lattes de José Antonio dos Santos Borges

Resumo do currículo

José Antonio dos Santos Borges é Informático (Instituto de Matemática, 1980), com mestrado e doutorado em Engenharia de Sistemas e Computação (COPPE, 1988 e 2009). É também bacharel em Piano (1977).

Trabalha desde 1974 no Núcleo de Computação Eletrônica, atualmente Instituto Tércio Pacitti de Aplicações e Pesquisas Computacionais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NCE/UFRJ). No NCE/UFRJ atuou em diversas áreas, como projeto de sistemas operacionais, sistemas CAD para eletrônica e microeletrônica, computação gráfica, multimídia e síntese de voz e computação para pessoas com deficiência.

Coordena, entre outros, os seguintes projetos de acessibilidade:

  • Dosvox, destinado a Deficientes Visuais, hoje com mais de 100.000 usuários.
  • MecDaisy, para geração e reprodução de livros digitais para deficientes visuais.
  • Motrix, através do qual o computador computador é controlado com a voz.
  • Microfênix, que permite que o computador seja controlado apenas através de murmúrios ou de leves movimentos do corpo.
  • Braille Fácil, o sistema mais usado para impressão Braille no Brasil.
  • Musibraille, para suporte à produção de músicas em Braille.
  • Jogavox, jogos computacionais para deficientes visuais.
  • Prancha Fácil, sistema para Comunicação Alternativa.
  • Tecnoassist, cursos de formação continuada em Tecnologia Assistiva e temas sobre deficiência.

    Foi um dos mentores do projeto Intervox que levou os primeiros 500 cegos a usarem a internet no Brasil e do projeto Habilitar, que sob patrocínio da empresa Cisco, treinou cegos e tetraplégicos para atividades profissionais em suporte de redes.

    É membro do comitê científico de diversas revistas científicas relacionadas à área de Educação Especial, e participa de diversas sociedades científicas, em particular na área de Tecnologia Assistiva e Estudos de Ciência e Tecnologia. É professor Honorífico da Universidad de Guadalajara, México, por seu trabalho em CAD para Microeletrônica. Teve premiada a melhor multimídia educacional no Festival Internacional de Multimídia promovido pelo CNRS/Paris, 1995.

    Realizou a orientação de dezenas de projetos de fim de curso de Engenharia Eletrônica e de Informática na UFRJ, onde, por sua atuação no ensino de graduação, foi escolhido como professor homenageado e/ou paraninfo por diversas vezes e laureado com a Medalha de Excelência Acadêmica do Instituto de Matemática da UFRJ nos anos de 2004 e 2009.

    Foi coordenador do Programa de Pós-graduação em História das Ciências e das Técnicas e Epistemologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (HCTE/UFRJ) no biênio 2020-2021. Ali, como professor permanente, leciona disciplinas relacionadas aos temas de Estudos sobre Deficiências, Tecnologia Assistiva e Sociedade, e também Introdução aos Estudos CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade) e orienta dissertações de mestrado e teses de doutorado.

    Ocupa hoje o cargo de vice-diretor do Instituto Tércio Pacitti de Aplicações e Pesquisas Computacionais da Universidade Federal do Rio de Janeiro, antigo Núcleo de Computação Eletrônica (NCE/UFRJ), tendo sido eleito para o biênio 2022-2023 junto com a Diretora Dra. Angélica Fonseca da Silva Dias.